Suspeito de abusar da enteada por 7 anos pode responder por três crimes, diz delegado
10/08/2017 - 8h35 em REGIONAL

A Polícia Civil de Lençóis Paulista (SP), que prendeu na terça-feira (8) um homem de 48 anos suspeito de abusar sexualmente da enteada por sete anos, segue investigando as provas encontradas na casa do suspeito. As investigações começaram em março de 2017, quando a polícia recebeu a denúncia de que uma jovem, atualmente com 20 anos, teria sido estuprada dos 11 aos 18 anos pelo padrasto.

O homem confessou os abusos numa carta que foi entregue pela mãe da vítima à polícia. Segundo o delegado Marcos Jeferson, que comanda as investigações, o suspeito poderá ser indiciado por pelo menos três crimes.

 

“Fizemos um laudo grafotécnico na carta, que confirmou sua autoria, e com base nisso é possível identificar três delitos: estupro de vulnerável, ter imagens de crianças e adolescentes em cenas de pornografia, e também produzir videos caseiros pornográficos”, enumerou o delegado.

Polícia Civil de Lençóis Paulista (SP), que prendeu na terça-feira (8) um homem de 48 anos suspeito de abusar sexualmente da enteada por sete anos, segue investigando as provas encontradas na casa do suspeito. As investigações começaram em março de 2017, quando a polícia recebeu a denúncia de que uma jovem, atualmente com 20 anos, teria sido estuprada dos 11 aos 18 anos pelo padrasto.

O homem confessou os abusos numa carta que foi entregue pela mãe da vítima à polícia. Segundo o delegado Marcos Jeferson, que comanda as investigações, o suspeito poderá ser indiciado por pelo menos três crimes.

 

“Fizemos um laudo grafotécnico na carta, que confirmou sua autoria, e com base nisso é possível identificar três delitos: estupro de vulnerável, ter imagens de crianças e adolescentes em cenas de pornografia, e também produzir videos caseiros pornográficos”, enumerou o delegado.

Nos computadores apreendidos, a perícia encontrou vídeos caseiros dos tempos em que a vítima ainda era criança e também imagens de outras menores em cenas pornográficas. Também encontrou mensagens de celular em que o suspeito convida meninas menores para encontros.

Os fatos foram confirmados pela mãe da jovem que prestou depoimento na delegacia após ter sido convocada pelo delegado que investiga o caso. Segundo ele, a mãe disse que não denunciou o caso antes por medo de expor filha.

Segundo depoimento, a mulher foi casada durante 10 anos com o suspeito e se separou em 2015, quando descobriu os abusos. Toda a violência começou em 2008, quando a menina tinha 11 anos.

Quando a vítima completou 18 anos, contou para mãe toda a violência que sofria e o suspeito teria confessado tudo por meio de uma carta. A mulher também descobriu conversas dele pelo celular com outras menores.

Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.

COMENTÁRIOS