Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Setor de hemodiálise da Santa Casa de Dracena tem 11 pacientes diagnosticados com a Covid-19
17/03/2021 08:59 em REGIONAL

A Santa Casa de Dracena informou, nesta terça-feira (16), que 11 pacientes renais crônicos, que fazem tratamento no setor de hemodiálise, testaram positivo para a Covid-19 neste último final de semana. Outros dez pacientes do mesmo turno foram testados e apresentaram resultado negativo, mas realizarão novo teste nesta quarta-feira (17). Todos foram orientados a cumprirem quarentena conforme protocolos da Vigilância Epidemiológica e Sanitária.

Segundo o hospital, o setor foi imediatamente sanitizado pelos colaboradores do setor de limpeza e higienização, sob a orientação da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), diretoria técnica, diretoria clínica e diretoria administrativa.

“A contaminação foi contida no local, de modo que o hospital em si não está comprometido e os demais setores seguem sua rotina normal de atendimento. As autoridades sanitárias competentes já foram informadas do ocorrido e das medidas de contenção adotadas”, salientou a Santa Casa.

A unidade de saúde frisou que não há casos graves entre os pacientes contaminados e eles seguirão o tratamento da síndrome gripal em casa, “sem prejuízo da terapia renal, que ocorrerá em um turno especial, para evitar a propagação do vírus”.

Setor de hemodiálise da Santa Casa de Dracena — Foto: Mariane Santos/TV Fronteira

Setor de hemodiálise da Santa Casa de Dracena — Foto: Mariane Santos/TV Fronteira

“Esse remanejamento dos pacientes contaminados evitará o risco de contaminação cruzada, sem diminuir a capacidade de atendimento do setor, nem prejudicar a continuidade da terapia renal”, destacou a Santa Casa.

O hospital esclareceu que desde o início da pandemia o setor de hemodiálise adota medidas específicas de prevenção, segundo protocolos que vem sendo constantemente atualizados pelas autoridades sanitárias. É constantemente exigido dos pacientes renais o uso de máscara e de álcool, além do distanciamento padrão. E durante a pandemia não está sendo admitida a permanência de acompanhantes no setor. Como medida preventiva, os pacientes renais crônicos são orientados diariamente a informar eventuais sintomas de síndrome gripal antes de comparecer às sessões de hemodiálise.

Até esta terça-feira (16), Dracena registrou 3.698 casos positivos de coronavírus. Desse total, 123 pessoas morreram. Casos curados estão em 2.864. A Prefeitura ainda aguarda os resultados de 27 exames.

Setor de hemodiálise da Santa Casa de Dracena — Foto: Mariane Santos/TV Fronteira

Setor de hemodiálise da Santa Casa de Dracena — Foto: Mariane Santos/TV Fronteira

 

Colapso na saúde

 

Em entrevista ao G1 no dia 17 de fevereiro, o prefeito André Kozan Lemos (PATRIOTA) afirmou que a cidade de Dracena entrou em colapso em decorrência do agravamento da pandemia da Covid-19.

Um decreto municipal foi elaborado com novas restrições impostas para tentar controlar a situação da pandemia no município, inclusive com a adoção de toque de recolher e lockdown aos fins de semana.

As visitas na penitenciária da cidade também foram suspensas.

No dia 26 de fevereiro, o prefeito anunciou que havia contraído o novo coronavírus. No dia 3 de março, ele precisou ser hospitalizado para receber oxigênio. No último sábado (13), Lemos recebeu alta da Santa Casa do município.

O ex-prefeito Juliano Brito Bertolini (PODE), que foi o antecessor de Lemos à frente do Poder Executivo, também foi diagnosticado com a Covid-19. No dia 1º de março, ele foi transferido da Santa Casa de Misericórdia de Dracena, onde estava entubado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para um hospital particular em Botucatu (SP).

No dia 5 de março, a Prefeitura divulgou o registro de casos da variante brasileira da Covid-19 no município. Através de coleta feita na cidade pelo Laboratório São Lucas, as amostras foram enviadas à empresa Dasa, uma rede de laboratórios, em Barueri (SP). O resultado dos exames apontou que, das 10 amostras analisadas, apenas uma não é a variante conhecida como P.1. Esta cujo resultado não comprovou a cepa o exame informou que se trata de outras linhagens.

Na última sexta-feira (12), a Prefeitura de Dracena iniciou a abertura de novas gavetas de sepulturas no Cemitério Municipal em razão do aumento de mortes de moradores da cidade provocadas pela Covid-19. O secretário de Infraestrutura, Habitação e Assuntos Viários, Ademar Alves Pereira, afirmou que o "plano de trabalho é abrir até 100 gavetas".

Segundo Pereira, a “ação não é para causar pânico na população, mas sim uma iniciativa da Prefeitura em providenciar um serviço com maior dinamismo, para que não seja pega de surpresa”.

Nesta terça-feira (16), a Prefeitura de Dracena anunciou que o Exército Brasileiro enviará uma equipe para desenvolver uma força-tarefa de sanitização do município.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!